sábado, 6 de junho de 2015

Diferentes tipos de depilação

Descubra quais são os principais métodos depilatórios utilizados e qual deles é o mais indicado para você.

 

Atualmente, uma gama enorme de métodos depilatórios faz-se disponível no mercado. Logo, as dúvidas surgem quando se tem de escolher uma delas, pois existem diferentes tipos de pele, sendo que cada uma reage à sua maneira.
Entretanto, manter a pele lisa, macia e sem marcas dos indesejáveis pelos, é a vontade e luta constante de grande parte das mulheres, logo, saiba quais são os principais métodos disponíveis e, antes de optar, leia sobre os prós e contras de cada um:

Métodos de depilação temporária

Os métodos de depilação temporária não são milagrosos e possuem vantagens e desvantagens. Alguns agridem menos a pele, porém, os pelos voltam a crescer no período máximo de três dias. Outros, entretanto, são mais doloridos, porém mais duradouros, mas, tendem a facilitar o aparecimento de pelos encravados.
ADVERTISEMENT
De forma geral, todos os processos depilatórios favorecem a foliculite, processo inflamatório que propicia bolinhas vermelhas sobre a pele. Contudo, o ideal é variar as alternativas de remoção, atentando para a escolha de um bom profissional, cuidados de manuseio e higiene, para então descobrir com qual dos processos seu tipo de pele melhor se adapta.
Lâmina: Aparelhos de barbear diminuem as chances dos pelos encravarem, pois estes permanecem com a raiz. Porém, muitas mulheres, de pele sensível, reclamam do resultado irritadiço, avermelhado e desconfortável que o processo pode causar. A lâmina, todavia, não faz com que os fios engrossem, mas não é indicada para a área do buço e locais sensíveis, como a virilha e axilas, por exemplo. A técnica, além de pouco custosa, é prática e pouco agressiva à pele. Porém, os pelos voltam a crescer no período de três dias.
Cremes depilatórios: Assim como o efeito das lâminas, não eliminam a raiz dos pelos. O tioglicolato da fórmula, substância química utilizada no alisamento dos cabelos, quebra a estrutura do fio, deixando a superfície da pele lisa, podendo assim, inibir a velocidade do crescimento dos pelos em até cinco dias após o uso. Porém, podem causar reações alérgicas. Então, recomenda-se que se faça um teste de sensibilidade em uma pequena área da pele antes da aplicação total do produto. Logo, siga as instruções descritas na embalagem à risca.
Ceras: O procedimento é dolorido e mais demorado. Em compensação, os pelos voltam a crescer a partir de aproximadamente quinze dias após a realização do processo depilatório. Atente sempre para o fato de que o material utilizado deve ser descartável. Para optar pelo método, é indicado que os pelos estejam com 0,5 centímetros de comprimento ou mais, para que sejam removidos facilmente. Entretanto, o surgimento dos pelos encravados se dá pelo seu enfraquecimento, ou descuido ao puxá-lo. Para auxiliar, use ao menos uma vez na semana, esfoliantes corporais, removendo as células mortas da pele. Atualmente, encontram-se disponíveis produtos que possuem em sua fórmula ativos fitoterápicos que acalmam a pele sensível, como a camomila, aloe vera e algas marinhas. Logo, os métodos mais utilizados são a cera quente e cera fria:
  • Cera quente: A depilação com cera quente é a mais antiga das técnicas depilatórias, além de ser a mais utilizada entre as mulheres. Isto, porque o calor tende a dilatar os poros, facilitando a remoção dos pelos e, consequentemente, reduzindo a dor. Contudo, o processo pode estimular o escurecimento da pele, especialmente virilhas e axilas de mulheres morenas ou negras.
  • Cera fria: O processo é dolorido, mas reduzem-se as chances dos pelos encravarem. A cera fria, entretanto, é indicada para áreas maiores do corpo, como braços, tórax e pernas. Logo, este tipo de depilação propicia resultados duradouros, além de ser prática e higiênica. Porém, é um dos métodos mais agressivos, podendo causar o ressecamento da pele, além do aparecimento dos temidos “vasinhos”.
Depilação à linha: Também conhecida como depilação egípcia, iraquiana, chinesa e a fio, elimina os pelos pela raiz sem danificar a estrutura da pele. O método, porém, possui a durabilidade de 15 à 30 dias, mas, além de ser custoso e demorado, requer um profissional extremamente hábil na técnica para que se obtenham bons resultados.
Aparelhos eletrônicos: Indicado para a região das pernas, permite a remoção dos pelos desde a raiz, pois, graças a um rolamento no cabeçote, os fios são arrancados sem que as camadas de proteção da pele sejam afetadas. O processo é pratico e barato, porém, é dolorido e pode provocar pelos encravados. A opção pode durar até 25 dias, logo, evite eliminar com o aparelho os fios mais grossos como os da virilha ou em regiões sensíveis como o buço. E não espere até que os pelos cresçam demais, pois quanto mais curtos, menor a dor e o risco dos pelos se partirem. Entretanto, como nem todos os modelos possuem cabeçotes que podem ser lavados, a higiene e a durabilidade do aparelho acabam por ser prejudicadas. Assim, dermatologistas recomendam que o aparelho eletrônico seja de uso pessoal.

Métodos de depilação definitiva

Depilação a laser: É um método depilatório definitivo indicado para todas as regiões do corpo, realizado em clínicas especializadas, em sessões, onde os pelos são gradativamente removidos. Logo, um tipo de laser específico é indicado para cada tipo de pelo e pele, e os resultados são facilmente notados na primeira aplicação. Se utilizados aparelhos de primeira linha, o método torna-se praticamente indolor e sem incidência de pelos encravados. Contudo, a técnica é custosa e contra-indicada para gestantes e pessoas com lesões de pele ou histórico de lesões e doenças. Estas, devem consultar um médico antes de optar pelo procedimento.
Luz pulsada: O laser e a luz pulsada diferem-se no comprimento de onda, sendo a luz pulsada mais suave, fazendo com que o folículo seja reduzido de forma gradual. Entretanto, o Photoderm utiliza a luz pulsada e concentra-se no pigmento escuro (melanina) da pele, enviando energia para o folículo, retardando assim, sua capacidade de produção de fios ou destruindo-o. Logo, os pelos que não são eliminados com a aplicação, crescem finos e claros.
Procedimentos realizados com luz pulsada, assim como o laser, são indicados para mulheres de pele clara e pelos escuros. O Laser de Rubi (Epilaser), por sua vez, obedece às mesmas regras: pele clara e pelo escuro, e possui boa eficácia. Porém, podem provocar o aparecimento de manchas claras em pessoas de pele morena ou negra. Já o Laser de Diodo (Light Laser), possui um mecanismo que protege a pele e evita o aparecimento de manchas. Atualmente, também é utilizado o Quantum, indicado também para peles negras, desde que os pelos sejam escuros.
ED 5000: Aparelho que facilita a penetração de produtos inibidores do crescimento de pelos, contra-indicado para pessoas com a pele morena ou negra. Utilizando do método, faz-se a depilação inicial com uma cera de sua preferência e, em sequencia, aplica-se um gel inibidor na região a ser depilada com o auxílio de uma sonda. Após quatro ou cinco sessões, os pelos começam a ralear, para então não nascerem mais.
Epilgreen: Facilitador da penetração de produtos que inibem o crescimento de pelos, aplica-se inicialmente um gel a base de extratos e óleos essenciais de plantas na área a ser depilada. Em sequencia, um eletrodo condutor de corrente elétrica, faz o gel penetrar até a raiz do pelo, eliminando-o gradativamente. Por fim, a área é depilada com uma cera vegetal.
Eletrólise com agulha: Método também chamado de eletrocoagulação. Neste processo, uma agulha é introduzida no poro onde nasce o pelo, descarregando uma carga elétrica na raiz a fim de queimá-la, ocasionando então, a “morte” do pelo. Porém, é um método doloroso e indicado para pequenas regiões, havendo o risco do aparecimento de cicatrizes ou manchas escuras sobre a pele.
Eletrólise com pinça: A técnica é indicada para regiões de pelos mais finos, como os do rosto ou dos seios. Neste processo, uma corrente elétrica atravessa o pelo para chegar à raiz, destruindo-a.
Como se pode notar, os processos mencionados como métodos definitivos de depilação, são custosos e, como as sessões são geralmente realizadas de mês em mês, as aplicações podem chegar ao período de dois anos. Para resultados satisfatórios, indica-se a procura de locais especializados e bons profissionais, optando então, pelo melhor método, de acordo com a análise da estrutura do pelo e seu tipo de pele.
Como podem ver existem vários métodos. E ai já escolheu os seus?
Bjaum a todas e um ótimo feriadão!

quarta-feira, 3 de junho de 2015

Aqueça o seu inverno com caldos light

A chegada dos dias mais frios do inverno é o convite ideal para tomar um caldo bem quentinho, seja sozinho em casa ou na companhia dos amigos. O problema é que os que fazem mais sucesso na estação são justamente os mais calóricos: caldo verde, caldo de feijão com bacon, sopa de ervilhas e esses são só alguns exemplos. Mas o que fazer então? Fugir de um bom caldinho em pleno inverno? De jeito nenhum! A solução pode ser escolher opções mais magrinhas.


 Nutricionistas garantem que, para aquecer o inverno, é possível fazer caldos ricos em nutrientes e sem muitas calorias. Para isso, a dica é evitar utilizar ingredientes com muita gordura e calóricos como bacon, linguiça e carnes gordurosas.

O ideal é dar preferência ao frango e às carnes magras, evitar incluir nas receitas batata e aipim, que são mais calóricos e, no lugar deles, escolher verduras em geral, abóbora, abobrinha, cenoura, chuchu ou palmito.

À noite

Como as receitas são levinhas, elas são uma ótima pedida para comer à noite, horário em que é necessário consumir alimentos de fácil digestão. Isso pode até ajudar você a perder aqueles quilinhos extras tão indesejados.
Os caldos são mais sugeridos no período noturno, por serem mais leves. Mas é importante que o almoço seja mantido, com arroz, feijão, legumes, verduras e a porção de proteína.
Então, em vez de consumir uma sopa de ervilhas, que pode ter mais de 500 calorias na porção, opte por um caldinho mais magro, como o de abóbora com ricota, que também é saboroso, mas tem apenas 188 calorias por porção. Ele vai ser mais fácil de digerir, é magrinho e, além de ser saboroso, pode ajudar você a dar tchau àqueles quilinhos indesejáveis.

Magrinho, caldo é bom no jantar

Ao contrário do que muitas dietas pregam por aí, deve-se, sim, alimentar-se bem à noite. É preciso, porém, ter cuidado para não ingerir alimentos de difícil digestão que, além de engordar, podem prejudicar a qualidade do sono. Os caldos light são uma ótima opção para consumir nesse horário.

500 calorias: Podem estar escondidas numa porção de sopa de ervilhas com carne gorda e bacon.

188 calorias: É a quantidade de calorias presentes em uma caldo de abóbora com ricota.

Para fazer em casa

Creme de abóbora com ricota: Ingredientes

- 8 pedaços pequenos de abóbora moranga (85g)

- 4 fatias de ricota

- 2 colheres de sopa de requeijão light

- 2 pratos de sobremesa de couve manteiga (60g)

- 1 cebola

- 2 dentes de alho

- 1 sachê de caldo de legumes 0%

- 5 copos de água

- 1 colher de chá de sal light

Preparo

Coloque a água, o caldo de legumes, os dentes de alho amassados, a cebola picada e a abóbora cortada em cubos. Deixe tudo cozinhar em fogo baixo, até a abóbora ficar macia. Se for preciso, acrescente mais água para garantir que o cozimento foi por completo. Depois, bata tudo no liquidificador junto com a água do cozimento, as fatias de ricota e o requeijão light. Transfira a mistura para uma panela e leve ao fogo médio. Em seguida, acrescente a couve cortada em tiras fininhas e deixe cozinhar por alguns minutos, para amolecer um pouco as fibras da couve. Depois, sirva quente.

Calorias:
A receita rende 2 porções. 188 calorias por porção.
Caldo de tomate com quinua: Ingredientes

- 8 colheres de sopa de quinua em grãos

- 4 colheres de sopa de queijo cottage

- 1 talo de salsão

- 1 lata de molho de tomate (se possível, prepare-o em casa)

- 1/2 cebola

- 3 colheres de sopa de salsinha

- 1 sachê de caldo de legumes 0%

- 5 copos de água

- 1 colher de chá de sal light

Preparo
Coloque, em uma panela, a água, o caldo de legumes e os vegetais previamente lavados e picados. Deixe-os cozinhar em fogo baixo durante alguns minutos. Depois, retire o salsão e acrescente o molho de tomate e os grãos de quinua. Cozinhe tudo por mais cerca de 20 minutos e desligue o fogo. Ajuste a quantidade de sal e salpique a salsinha picada. Sirva em pratos fundos ou cumbucas individuais e acrescente uma colher de sopa cheia de queijo cottage para cada porção.

Calorias: A receita rende 4 porções. 182 calorias por porção

Caldo de espinafre: Ingredientes

- 1 tablete e meio de caldo de galinha

- 4 xícaras de chá de água

- 1 maço de espinafre, somente as folhas

- 1 colher de sopa de farinha de trigo

- 1 xícara de chá de leite desnatado

- noz-moscada ralada a gosto

Preparo

Dissolva o caldo de galinha na água e cozinhe o espinafre nesse caldo, até ficar macio. Retire a panela do fogo, escorra o espinafre e reserve o caldo. Pique o espinafre bem pequenininho e junte ao caldo, de novo. Retorne a mistura ao fogo, adicione a farinha já dissolvida no leite. Mexa sempre, até o caldo engrossar. Acrescente a noz-moscada e cozinhe em fogo branco por mais 5 minutos.

Calorias: A receita rende 4 porções. 54 calorias por porção.

Espero que tenham gostado!